Instituto Fraunhofer desenvolve pesquisa sobre cultivo de macaúba

macauba-1617850_1920Projeto de desenvolvimento sustentável de cultivo de macaúba foi tema de encontro entre grupo de pesquisadores do Instituto Fraunhofer, instituição alemã de pesquisa aplicada, e da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta). A reunião no Instituto Agronômico (IAC) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo discutiu o sistema de cultivo, a sustentabilidade da cadeia produtiva e o desenvolvimento de novas aplicações e produtos. Dentre outros aspectos, a macaúba é uma das plantas de maior potencial para produção de biodiesel, podendo render quase 26 vezes mais óleo do que a soja.

A pesquisa é focada na análise da variabilidade genética existente na espécie e seleção de matrizes para maior produção de óleo da polpa e da semente, nos diferentes ambientes onde pode ser naturalmente encontrada.

O projeto foi aprovado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e pelo Governo Federal da Alemanha, por meio do Ministério da Ciência e Educação (BMBF). As atividades no âmbito deste projeto de cooperação internacional tiveram início neste ano e deverão ser finalizadas em 2019. O coordenador técnico do projeto e pesquisador do Instituto Fraunhofer, Alexandre Martins Moreira, informou que o encontro faz parte da dinâmica dos projetos da entidade.

O chefe de engenharia de processos do Instituto, Peter Eisner, completou: “Por se tratar de um projeto multidisciplinar que conta com mais de cinco parceiros, a reunião é de grande importância para que todos se familiarizem com as competências de cada membro”.

Durante o encontro, Eisner falou sobre o potencial de aplicação de produtos da macaúba e apontou as possibilidades de uso da palmeira, que envolvem a produção de biocombustível, as indústrias farmoquímica e alimentícia, além da utilização das fibras da planta.

Ele também ressaltou que todo o processo deve ser desenvolvido de acordo com a legislação alemã de baixo impacto ambiental. O engenheiro apresentou ainda empresas brasileiras e alemãs parceiras que participarão do projeto.

Foto: CC/Pixabay/samucajor

 

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.