Continental desenvolve sistema para condução automatizada

img_2017_01_04_umfeldmodell_3dflashlidar_objectdetection_en-onlinedataUm requisito básico para sistemas avançados de assistência ao motorista e de condução automatizada é a capacidade de perceber de forma confiável os arredores do veículo e avaliá-los com precisão. A empresa internacional de tecnologia Continental está trabalhando na próxima geração de um modelo de ambiente que proporcionará uma visão de 360 graus perfeita e verdadeira de todo o entorno do carro.

Para permitir que o sistema assuma o controle dos motoristas, o veículo deve continuamente adquirir, processar e interpretar dados, ao mesmo tempo que constrói o conhecimento contextual. Esta é a única maneira de atingir níveis sofisticados de condução automatizada, desde a condução em estradas até no ambiente urbano altamente complexo. Um modelo de ambiente confiável requer uma gama de informações de outros participantes do trânsito, de objetos estáticos, da localização exata e de medidas de controle de tráfego.

“Para o sistema adquirir essas informações, vários sensores, como radares, câmeras e sistemas Surround View, são necessários. O objetivo é conseguir uma compreensão do ambiente tão boa ou melhor do que a de uma pessoa. Mais alcance, mais sensores e a combinação de dados adquiridos com sistemas computacionais ajudarão a aprimorar a visão”, disse Karl Haupt, chefe da Unidade de Negócios da Continental.

Como cada um dos sensores têm sua própria força e fraqueza física, é possível que algumas aplicações cheguem ao limite de suas capacidades. “É por isso que estamos trabalhando em uma alta resolução 3D Flash LIDAR, ideal para cumprir as exigências rigorosas relativas ao monitoramento do ambiente do veículo. O sensor capta e processa a visão em tempo real da máquina 3D e não contém componentes mecânicos”, completou Haupt.

Os dados podem ser processados pelos próprios sensores ou em uma central de controle. Quanto maior o volume de dados a ser processado e analisado, mais poder de computação é necessário. Isso, por sua vez, impulsiona a necessidade de unidades de controle que são mais poderosas do que as atualmente em uso, a fim de construir e gerenciar o sistema.

O modelo de ambiente representa uma camada de software intermediária entre os sensores individuais e as diferente aplicações. Esta camada contém algoritmos de fusão e planejamento de dados projetados para aumentar a precisão e expandir o campo de visão, atuando como uma camada de abstração em relação às diferentes funções. Operando como ponto central para avaliar e interpretar todas as informações adquiridas, a Unidade de Controle de Condução Assistida e Automatizada da empresa gera o modelo de ambiente em mais de 50 vezes por segundo. 

Foto: Divulgação Continental

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.