Formação Dual e sua aplicação no Brasil

Humboldt Formcao Dual 2
Foto: Divulgação Colégio Humboldt

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em maio desse ano a taxa de desemprego do País era de 13,3%, sendo que entre os jovens essa taxa chegava a ser mais elevada, 28,7%. Isso significa que os jovens recém-formados estão tendo dificuldade de se inserir no mercado de trabalho, situação que é agravada com a crise econômica. Por outro lado, as empresas também sofrem para encontrar mão de obra qualificada e conseguir preencher vagas que requerem uma formação técnica. A falta dessa qualificação dos trabalhadores brasileiros gera prejuízos às empresas, que realizam longos processos seletivos sem encontrar um candidato preparado e ainda enfrentam elevadas taxas de rotatividade.

O ensino técnico, portanto, se apresenta como uma interessante solução capaz de melhorar a qualificação da mão de obra brasileira. Aliar o ensino teórico à experiência prática possibilita aos alunos adquirir uma formação técnica específica, aumentando suas chances de empregabilidade. Na Alemanha, por exemplo, 40% dos jovens já optam por fazer uma qualificação profissional após o colégio. Já as empresas enxergam na formação profissional uma vantagem competitiva e estão interessadas em familiarizar a nova geração de talentos com seus processos internos.

Quando a Câmara Brasil-Alemanha inaugurou seu Centro de Competência de Formação Profissional, em 2014, passou a desenvolver ações com o objetivo de fomentar no Brasil o modelo alemão de Formação Dual. Atualmente, além de cursos e eventos, o Centro concentra suas atividades em oferecer e apoiar dois diferentes modelos de ensino dual: o administrativo e o industrial.

Formação Dual Administrativa

O curso Humboldt Formação Profissional Dual, criado em 1982 pelo Colégio Humboldt, oferece formações técnicas em gestão de Expedição e Logística, Secretariado, Administração Industrial e Seguros. Estes cursos são reconhecidos tanto no Brasil como na Alemanha, qualificando os estudantes para o mercado internacional. A atuação do Centro de Competência Formação Profissional da AHK São Paulo se dá na organização anual dos exames, na certificação das provas e dos diplomas dos cursos no exterior por meio da Confederação Alemã das Câmaras de Comércio e Indústria (DIHK). Além disso, o Centro também auxilia a instituição a realizar novas parcerias com empresas, bem como supervisionar o estágio dos alunos nas empresas conveniadas.

Nesse sistema dual alemão as aulas teóricas são alternadas com a experiência prática. Ou seja, os alunos estudam entre cinco a sete semanas na instituição de ensino e, em seguida, complementam a carga horária do curso com um estágio em uma empresa conveniada. Além de os alunos conseguirem aprender em um ambiente de trabalho real com profissionais experientes, eles também fazem um job rotation passando por diversas áreas aumentando seu leque de experiências.

Segundo Heiko Weinhappl, Coordenador da Formação Profissional Dual do Colégio Humboldt, umas das principais motivações para as empresas em participar do programa é a estratégia competitiva de qualificação de mão de obra. “Os nossos alunos apresentam uma ótima formação básica e são extremamente motivados. Desde a fundação da Escola Profissionalizante no Colégio Humboldt, diversas empresas seguem conveniadas ao programa até hoje”.

Formação Dual Industrial

IMG_1718
Foto: Fabricio Moraes

Outra atividade do Centro de Competência Formação Profissional da AHK São Paulo é a criação de parcerias com empresas interessadas em implementar um curso técnico em Mecatrônica interno para seus funcionários. Atualmente participam do programa as empresas associadas Robert Bosch, STIHL e Volkswagen.

Para Dieter Schmiedt, Especialista em Treinamento e Qualificação da STIHL, o objetivo do curso é proporcionar uma formação qualificada com vivências reais da rotina de trabalho de um especialista do segmento mecatrônico. “A STIHL motiva-se em contribuir tanto para a competitividade da empresa quanto para a capacitação individual dos colaboradores. Temos diversas ações que estimulam a capacitação, mas essa formação em Técnico em Mecatrônica é um projeto que visa a valorização e o aperfeiçoamento diferenciado dos funcionários. E o que mais nos orgulha é o reconhecimento por parte dos colaboradores, que sentem e enxergam o seu real valor para a empresa”.

O curso que tem duração aproximada de três anos é aplicado pela instituição de ensino parceira, o SENAI, e a experiência prática é obtida pelos alunos na própria empresa em que trabalham. O papel do Centro é oferecer suporte às empresas para que a formação seja implementada de acordo com a metodologia alemã e também aplicar as provas finais e a avaliação de uma banca examinadora para certificar os alunos.

Fabrício Moraes, Chefe da Escola Técnica de Engenharia da Robert Bosch, afirmou que um dos principais benefícios gerados pela implementação do sistema foi “o ganho na qualidade da formação, assim como o alinhamento com os mais recentes conteúdos alemães. Além disso, a certificação internacional é um diferencial para os nossos alunos e futuros profissionais”. Na multinacional as atividades da escola técnica se iniciaram em 1960, seguindo o modelo alemão de ensino profissionalizante. Apesar disso, foi somente a partir de uma recente parceria com a Câmara Brasil-Alemanha que o Sistema Dual passou a ser certificado pelo Centro de Competência Formação Profissional o que levou a um reconhecimento internacional da Formação, sendo oficialmente aprovada pelos órgãos reguladores da Alemanha. “A oportunidade de estabelecer o reconhecimento da formação, assim como melhorar e alinhar a grade curricular ao padrão alemão, foram pontos importantes para a decisão pela implementação da Formação Dual na planta. Outro fator importantíssimo é que o curso proposto, Mecatrônica, está alinhado à estratégia da planta e da empresa”, afirma Moraes.

Para promover o sistema de Formação Dual alemão, a Câmara Brasil-Alemanha realizará uma delegação com destino à Alemanha. A visita técnica passará por renomadas empresas e instituições alemãs envolvidas na Formação Dual e também pela maior feira mundial de educação profissional, a Didacta.

A viagem está marcada para acontecer entre os dias 17 e 24 de fevereiro de 2018 e tem como objetivo proporcionar a troca de informações quanto ao desenvolvimento educacional nas empresas alemãs, apresentar instituições de ensino técnicas, faculdades e projetos colaborativos de aprendizado da Indústria 4.0 além de identificar as tendências da digitalização na formação profissional.

“A Alemanha é uma referência na Formação Profissional Dual e o programa de visitas proporcionará aos participantes um panorama da 4ª Revolução Industrial conciliada à educação técnica”, afirma Patrícia Caires, Diretora do Centro de Competência Formação Profissional da Câmara Brasil-Alemanha.

Essa matéria foi retirada da revista BrasilAlemanha, para ter acesso ao conteúdo completo acesse o link: http://bit.ly/2Ajax09