Alemanha necessita de profissionais especializados

Eric Schweitzer, presidente da Confederação Alemã das Câmaras de Comércio e Indústria, falou em entrevista concedida ao jornal Bild, nesta semana, sobre a escassez de mão de obra qualificada na Alemanha, que tem se agravado nos últimos anos. Ele defende que o país deve incentivar a imigração, sem deixar de mobilizar o potencial nacional.

Segundo Schweitzer, a economia alemã enfrenta uma carência de profissionais qualificados no mercado de trabalho, e estima-se que nos próximos 12 anos a disponibilidade de mão de obra deve cair em seis milhões de trabalhadores em função da baixa taxa de natalidade.  “Até 2025, precisaremos de 1,5 milhão de trabalhadores estrangeiros”, afirma o dirigente.

Para amenizar o problema a solução seria melhorar a cultura de boas vindas na Alemanha. E isso começa, segundo Eric Schweitzer, na parte burocrática do processo imigratório: “os detalhes a serem preenchidos nos formulários de entrada no país precisam ser mais acessíveis aos imigrantes e, também, disponíveis em língua inglesa”. Se isso acontecer, o dirigente acredita que a iniciativa será convertida na entrada de cerca de 10 mil profissionais por mês e em pelo menos um “Centro de Boas-Vindas” em cada uma das grandes cidades alemãs.